1

Pequeno histórico do Canal oGuitarrista no Youtube e seu fim

Quero contar para nossos amigos um pouco sobre o canal oGuitarrista no Youtube: como começou, até chegar aos dia de hoje, seu final.

 

2006

O ano era 2006. Estava eu num cyber cafe vendo meus e-mails (eu não tinha internet em casa). Recebi uma propaganda de um tal de Youtoba, Viutube, Emtuba… Ninguém sabia o nome na época. Dizia o e-mail que era um site com vídeos. Resolvi conferir.

Vi que os vídeos eram todos em inglês. Tinha até umas coisas interessantes. Até que descobri que era um site onde poderia se subir (upload) gratuitamente vídeos. Pensei: “Que demais!”. Finalmente achei que a democracia do vídeo tinha chegado à internet. Seria uma boa chance de gravar uns vídeos com guitarra. Fiz então um perfil…

antigo-youtube

Esse era o perfil do “antigo” Youtube

 

A única câmera que tinha era uma Kodak C360 que gravava vídeos em 420 x 315. Pra época até que era razoável. Liguei a câmera e gravei então meu primeiro vídeo no quarto (24/11/2006):

 

 

O site oGuitarrista nem é mais “ponto br”. Hoje, vemos esse vídeo com mais de 3ooo visualizações, mas todas foram conseguidas na época, pois eu tirei ele do ar logo depois de ter colocado. Subi como teste, mas não tinha ficado do meu agrado. Só queria gravar uma brincadeira e me divertir com algo que tocava quando era mais novo. Mal lembrava as notas corretamente. E mal sabia que pessoas iriam ver e me julgar pela minha tocabilidade!

Era a internet mostrando sua futura cara: os novos tempos e o incentivo ao comentário.

Comecei a receber vários comentários, na média 85% positivos, 15% negativos. Na época não era like ou dislike como hoje. Eram umas estrelinhas. As pessoas davam de uma a cinco estrelas para os vídeos. Fazia a descrição dos vídeos em inglês e os comentários eram em sua maioria na língua inglesa.

 

Por que os comentários estão em inglês?
Porque naquela época, haviam pouquíssimos brasileiros no Youtube. É… Por isso digo que o canal foi um dos precursores no Brasil nesse negócio de colocar vídeos de guitarra no Youtube. Tinha é mais gringo fazendo essa bagaça.

 

2007

Ai, estava eu brincando com minha Squier e pensei: “poderia gravar essa brincadeira”. Gravei e decidi depois colocar no Youtube (22/01/2007). Gravei de qualquer jeito e o resultado foram alguns negativos.
Foi então que comecei a perceber a tendência de se querer ver algo bem produzido no Youtube, como é feito massivamente atualmente. Eu não fazia ideia disso. Bom, ninguém fazia. Os usuários foram percebendo as tendências do que funcionava no Youtube e aplicando.

 

Superproduções não eram a intenção inicial do Youtube. O slogan e a ideia inicial era de se ter um local de depósitos e compartilhamento de vídeos pessoais, tipo o que é feito no Facebook.

Bom, resolvi tirá-lo do ar. Hoje vejo que foi muito pobremente feito, tanto em termos de som como em termos de imagem (gravei sentado na cama… putz. Dá pra ver um amontoado de roupa na direita do vídeo… 😀 ). Foi aí que comecei a perceber o porque de se fazer um marketing de aparência perfeita para a audiência.

Gravei mais dois vídeos: uma brincadeira com dedilhado que chamei de Thoughts (quem procuraria algo assim no Youtube?) e um vídeo que montei com minha música chamada Blues Ky. Já sabia que não iria ganhar muitas visualizações com esses dois porque, como as pessoas não me conhececiam, não iriam digitar meu nome nas ferramentas de busca.

 

Falta de noção à parte, eu queria gravar e colocar algo legal no Youtube.
Resolvi então gravar um dos solos que eu mais gosto, da música do artista pop que mais gosto: Michael Jackson – Beat it!. Ele foi o maior artista pop de todos os tempos pra mim.

Gravei em 05/02/2007, antes da morte do Michael.
Esse vídeo bombou para a época. Foram milhares de visualizações, as quais aumentaram com a morte dele.

Hoje sei que o vuco-vuco de sua morte foi que trouxe milhares de pessoas para visualizar o vídeo. E é uma técnica que muitos hoje utilizam: aproveitar como um urubu da tragédia dos outros para chamar view. Misericórdia…

 

As inscrições para meu canal começaram a aparecer. Em 10/05/2007 postei o solo da música Another Day, do Dream Theater, a pedido de um amigo:

Mais de 50 mil visualizações rapidamente e as inscrições de vento em popa. Mas, não havia na época aquela obrigação de ficar colocando vídeos periodicamente. Nem aquela obrigação de agradar como os canais fazem hoje.

Postei mais alguns vídeos em 2007, como Country improvisation, dois vídeos tributos ao meu professor de guitarra Faíska (Red Card e Pega Ladrão) e apenas um trecho da música Odeon, de Ernesto Nazareth. Essa última, só um trecho por causa do medo da cobrança por Direitos Autorais.

Tinha tantos solos e músicas para subir, mas a ameaça de strikes me rondava. Até que um dia levei um strike no “meio da testa” e decidi parar definitivamente de fazer covers. Quase perco o canal…

 

2008

Comecei o ano com uma ideia: gravar um vídeo ao vivo com uma banda, ao invés de ficar gravando vídeos como todo mundo, sentado numa cadeira do quarto.
Convidei o baterista (Marcelo Moura) e o baixista (Fredday), ambos da banda que tocava na época, para gravar a música The Forgotten, do Joe Satriani. A inovação foi muito bem recebida e teve muitos comentários. Se fizesse hoje, tenho certeza que seria difícil chegar em mil visualizações.

 

Ao vivo, é na “raça” a coisa, e foi um vídeo bem honesto em termos de apresentação. Ainda não tinha visto isso no Youtube e foi uma ideia legal e inovadora na época.

Ainda em 2008, gravei a Summer Song, também do Joe Satriani e o último vídeo do ano chamado HelloMoto Rock Guitar Solo. Nesse, tentei utilizar duas câmeras para pegar takes diferentes. Tinha poucos recursos, mas muita vontade de inovar ou fazer algo diferente.
Deixei gravando a minha antiga Kodak e a outra câmera do meu antigo celular Rokr da Motorola de 1.3 megapixels, fraquíssimo se comparado com a tecnologia de hoje. Depois juntei as imagens para dar ângulos diferentes.

Sabe o que é interessante? É que conseguia se views na época!!! É…
Eu gravava e subia os vídeos e a galera achava e vinha assistir! Muito legal isso.

Mas a coisa iria mudar. Esse foi o último vídeo de 2008 e os próximos anos seriam bem desafiadores para minha vida…

 

Desgraça pouca é bobagem

Diz o ditado popular esse terrível enunciado. Infelizmente, não posso dizer que ele é de todo mentira.

Sempre procurei ser uma pessoa positiva. Era pai de família, levava uma vida como a esmagadora maioria dos músicos no Brasil, trabalhando em um emprego normal e levando junto a música.
Tudo ia bem, até que fui acometido de um estresse agudo em 2009 – mal dos tempos modernos – e minha vida virou 180° graus…

 

Tive que parar tudo. Comecei um tratamento médico rigoroso. Só comecei a apresentar uma pequena melhora em 2012, que foi quando voltei a gravar vídeos. Em 2010, até subi três vídeos, mas eram bem simples. Um deles, foi um vídeo feito por uma amiga da família. Foi um show beneficente que fiz para uma ONG em Sorocaba, SP, o qual fiz através de muito esforço pessoal.

Parei meu canal praticamente por 4 anos por conta disso, o que acarretou na perda de várias inscrições e o não acompanhamento das mudanças do Youtube.

 

2012 e 2013

Enquanto a mídia anunciava o “fim do mundo”, eu tentava recomeçar a vida. Consegui voltar a gravar vídeos.
Comecei a gravar vídeo-aulas, o que era um antigo projeto que eu tinha para o canal oGuitarrista. Como o começo de meus estudos foi difícil em termos de grana, sempre me cobrava em ajudar quem queria aprender a tocar e não tinha condições. E achei que também seria legal para fazer o canal crescer, juntando assim, o útil ao agradável.

 

Mas, para minha surpresa, os vídeos não tinham visualizações! Pesquisei, pesquisei para descobrir o porque e tudo que pude encontrar me levou a conclusão de que a causa era a divulgação pobre e a difícil concorrência dos novos tempos.

Ok. O que fazer pra tentar chamar a galera? Como fazia uma brincadeira com a música do Bob Esponja nos shows – pra fazer meu amigo e tecladista Alex Bessa rir – pensei, vou gravar esse negócio. Gravei então o Tema do Bob Esponja. Lógico que não funcionou. Só consegui fãs do desenho me enchendo a sacola. Mas, tá lá o Bob Esponja no canal…

 

Mas, finalmente, depois de muita pesquisa, pude ter uma noção do porque das baixas visualizações, o que não acontecia antes.
O que estava acontecendo era que o Google (dono do Youtube) foi ao longo dos anos fazendo várias mudanças em relação aos destaques e sugestões de vídeos nas páginas.

destaque-sugestoes-youtubeTodo mundo sabe que a propaganda é a alma do negócio. Se ninguém souber que você existe, na mídia assim como na internet, você simplesmente não existe

Como não acompanhei as mudanças durante esses 4 anos que fiquei parado, novos canais apareceram e dominaram o cenário do Youtube. Muitos desses canais são fortes hoje, mais consolidados e até criadores de opinião (muitas delas duvidosas). Muitos aprenderam bem as técnicas de SEO, as artimanhas dos negócios no Youtube e até levaram técnicas dos negócios tradicionais midiáticos, como fazer polêmica, fazer humor e o culto à celebridade.

 

Me perguntava: “Onde viemos parar?”. Onde está o conceito que diferenciava a internet das velhas mídias dominadoras?
Estamos vendo no Youtube a repetição da velha e pobre programação televisiva, sem conteúdo, escravista de mentes e com um possível futuro de cartéis que dominaram por completo o Youtube. Esperem e verão.

 

Isso tudo tornou difícil fazer com que o canal oGuitarrista retomasse seu crescimento e, assim, pudesse aparecer mais nos mecanismos de pesquisa.
Mesmo assim, continuei fazendo vídeos e pesquisando o que poderia fazer para melhorar o destaque do canal.

 

Sem audiência, sem likes, sem comentários, sem compartilhamentos,
um canal nunca crescerá no Youtube…

 

2014

Mas, tive que parar em 2014. Quando pensei que já tinha enfrentado de tudo na vida, eis que minha esposa adoece…

 

Me desculpem, mas tenho que falar um pouco de minha vida pessoal, pois isso me obrigou a parar o canal.
Bom, cada um de nós passa por muitas dificuldades, não é mesmo? Muitos postam sorrisos felizes em redes sociais, mas ninguém sabe o que cada um passa em seu cotidiano.

Assim como muitos, também tive que ser um sobrevivente na vida. Perdi meu pai bem cedo e minha mãe deu duro para poder dar uma casa e um sustento para seu filho único.

Se você é jovem e encontra dificuldades, saiba que comigo não foi diferente. Tive uma adolescência de merda (não tem palavra melhor) e, tudo que aprendi na vida, foi com luta, erros e tentativas de acerto. As pessoas não param pra te aconselhar ou ajudar. Mas, para te julgarem?! Ah, isso tem filas e mais filas. Só seus pais é que querem realmente te ajudar e te amam de verdade, mesmo que não saibam dizer ou fazer o melhor como eles gostariam. Então, ame-os e respeite-os.

E, não espere que alguém faça algo por você. Se você não se esforçar, estudar e tentar melhorar de vida, não vai acontecer nada, porque ninguém tá nem ai…. Essa é a verdade.

Quando caí na real disso, apesar de ser só um adolescente revoltado, comecei a me esforçar pra mudar. Então, as coisas na minha vida melhoraram. Consegui, com esforço: estudar, aprender música e trabalhar. Apenas quando decidi que eu era o responsável pelas coisas da minha vida e que só cabia a mim lutar para ter o que preciso foi que as coisas aconteceram. Parece óbvio. Mas, acredite, isso é uma tomada de consciência e não é tão simples para todos.

E foi nessa época que conheci uma pessoa que completou o tempo das melhores mudanças de minha vida: minha esposa.

 

Mas, desculpe… Voltando.

 

Minha esposa adoeceu em 2014 e ficou difícil manter as coisas como antes. Lutamos muito pela sua melhora de saúde, mas, infelizmente, ela veio a falecer em 2015. Foram 25 anos de companheirismo e de tentativas de melhoria de vida, coisa que quem é casado sabe bem o que estou falando. Um golpe duríssimo para esse guitarrista, que pensou ser esse o tiro de misericórdia derradeiro. Com certeza, um pedaço meu se foi junto com ela. Ela foi cantora, mãe, uma grande mulher e uma das melhores pessoas que conheci.

Mas, a vida insiste e, vamos lá. Dia após dia, porque a luta continua…

 

Conclusão

O começo do canal foi meio sem parâmetros, mas, com o tempo, lapidei duas metas mais objetivas:

1* Ensinar violão e guitarra para iniciantes através da vídeo-aula 1 e da vídeo-aula 2;

2* Divulgar minhas músicas instrumentais de guitarra e violão.

 

Minhas músicas: mais recentesmais antigas, e muitas outras que não estão lá.

 

Só pra malucos: vídeos cover de solos e improvisos .

 

O último vídeo do canal data de 08 de março de 2014. Eu já tinha desistido de tentar voltar, mas parece que deixei algo inacabado e sinto que tenho que completar pelo menos a vídeo-aula 2.

Fiz essa matéria porque tenho que deixar um parecer para alguns amigos que nos acompanharam nos anos de existência do canal oGuitarrista (2006-2014) e informar que parei por motivo de força maior e que não gravarei mais vídeos. Porém, tentaremos voltar para pelo menos terminar a vídeo-aula 2.

 

Creio que, no futuro, muitas pessoas ainda se beneficiarão com as aulas gratuitas. E algumas se identificarão com minhas músicas instrumentais, fato que já tem acontecido, e isso é motivo de muito orgulho para mim. Achar alguém assim nesse país, nem que seja uma só pessoa, é pra soltar rojão e se sentir recompensado pelo suor de anos sobrevivendo a descréditos, abandono e oposição.

Agradeço aos que me ajudaram durante esses anos de vida do canal.

Abraço a todos!

Evaldo
oGuitarrista.com

Compartilhar (Share)
oGuitarrista

oGuitarrista

Evaldo Devellis - Guitarrista há 30 anos, foi autodidata em violão e guitarra. Posteriormente estudou com Faíska e Giácomo Bartoloni. Também cursou o Conservatório Souza Lima, Voice e IGT.

One Comment

  1. Muito legal o blog,aprendi bastante aqui,depois de todo esse tempo procurando algum lugar que me ensine grátis,finalmente achei!
    Eu estou estudando e passando para meus amigos aprenderem também!
    É uma pena que os vídeos tenham parado,mas, obrigado!
    De coração,muito obrigado!

Leave a Reply to Vitor Rafael Cancel reply